SQC GROUP TRAINING & CONSULTING

16
jun

0
redepetrorio3

Rio Pipeline 2015 já tem data marcada

A edição de 2015 da Rio Pipeline será realizada entre os dias 22 e 24 de setembro. Organizado a cada dois anos pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), o evento é reconhecido como um dos principais do segmento e vai reunir profissionais de nível técnico e gerencial para troca de experiências e conhecimento sobre novas tecnologias e melhores práticas de gestão na área.

O tema central da Rio Pipeline é o importante papel dos dutos submarinos no desenvolvimento do pré-sal, que amplia o escopo do evento, intensificando os debates sobre os dutos e linhas offshore.

Na programação, um dos destaques é o painel de abertura que trará um panorama atual da indústria de petróleo e gás do qual participará o diretor presidente da PPSA, Oswaldo Pedrosa. Além disso, está confirmada a presença da gerente executiva do E&P Serviços da Petrobras, Cristina Pinho, em um painel que abordará os desafios tecnológicos para o segmento dutoviário no desenvolvimento do Pré-Sal. Assuntos relacionados à construção e montagem, operação, inspeção e manutenção de dutos são alguns dos temas que serão debatidos e que trarão importantes personalidades da comunidade de dutos.

O evento terá ainda fóruns de debates, apresentações de trabalhos técnicos (sessão oral e pôster digital) e minicursos sobre temas de relevância para indústria.

A última edição da Rio Pipeline, realizada em 2013, recebeu mais de 2,2 mil visitantes e cerca de 1 mil congressistas. Na exposição, 150 empresas apresentaram novas tecnologias e serviços que serão aplicados na indústria de petróleo e gás no Brasil nos próximos anos.

“A Rio Pipeline surgiu há quase 20 anos em função dos grandes investimentos realizados no país na área de dutos terrestres e chega à sua 10ª edição consolidada como um dos principais espaços para realização de negócios nesta área”, comenta o Gerente Executivo de Abastecimento, Petroquímica e Biocombustíveis do IBP, Ernani Filgueiras.

Fonte: TNPetróleo

Seja o primeiro a comentar

Responder